Tem dia pra tudo

Escrito por Thaís Bechara. Publicado em Blog.

Tem dia que é sorriso e tem momentos que por mais que nos esforçamos a lágrima insiste em escorrer pelo rosto.

Tem dia que a preguiça chega, mas tem dia que a energia toma  conta do nosso corpo.

Tem dia que é só tranquilidade, porém, de repente, chega o vento forte e somos obrigados a enfrentar o furacão.

Tem dia que ensinamos e tem dia que aprendemos.

Tem dia que queremos tudo e tem dia que uma sombra e água fresca nos satisfaz.

Tem dia de trabalho, mas sempre chega o fim de semana.

Tem dia que é preciso lavar, limpar e deixar ir. Tem dia que é preciso curtir a paz de espírito.

Tem época que pessoas cuidam de nós, mas é só viver mais um pouco para aguardar o momento de cuidar do outro.

Todo dia é dia de beber água, mas  ainda bem que aparecem momentos que valem brindar com algo um pouco mais forte.

Tem dia que é preciso entregar, mas é certo que chega a hora de receber.

Pode ser assim ou pode ser de um outro jeito. A vida caminha desta forma. Tudo pode estar programado, mas nem sempre ocorre como foi planejado.

É preciso jogo de cintura para viver. É preciso estar atento e forte para não se assustar com o novo.

Mudanças são constantes. Buscar novos caminhos faz parte da minha e da sua trajetória. Se os batimentos cardíacos estão acelerados, se a pressão está intensa, se os passos precisam ser decisivos e se o rumo precisa ser redirecionado o melhor jeito de enfrentar é reprogramar o aplicativo da vida, compartilhar os bons e maus momentos perto dos amigos, da família e seguir em frente. Amanhã será outro dia! Podes crer! 

Briga na escola? 7 dicas para estabelecer uma boa conversa entre pais e escola

Escrito por Thaís Bechara e Sônia Licursi. Publicado em Pais e Filhos.

“Meu filho brigou novamente com um colega de classe. Fui chamada pela Orientadora Educacional e estou muito brava por ter sido convocada para esta reunião. Briga entre crianças devem ser resolvidas entre elas”!

Conversando com Educação entra em ação e sugere  7 dicas para estabelecer uma boa conversa e um bom encaminhamento na resolução do conflito.

1. Acalme-se e converse com seu filho. Aproveite a oportunidade para ouvir dele sobre o ocorrido. Comunique-o que a orientadora educacional deseja conversar com a família.

2. Entre na sala da orientadora  com tranquilidade e ouça a queixa da escola.

3. Exponha as observações do filho diante do fato.

3. Não esqueça que a conversa é entre dois adultos, portanto o ponto a ser analisado é não buscar culpados, mas sim ajudar na resolução do problema.

4. Lembre-se que o conflito diz respeito aos envolvidos. O papel dos pais e da escola é pensar em soluções boas e satisfatórias para que possam aprender com isso.

5. O momento é de operar em termos de sentimentos, pontos de vistas e soluções. Por mais doloroso que seja essa operação vai gerar aprendizagem.

6. Não é da noite para o dia que o conflito será resolvido. Sendo assim, é preciso estabelecer combinados, acompanhar o processo, mediar situações e avaliar procedimentos e a capacidade dos alunos de pensar sobre os problemas.

7. Não saia da sala sem agendar um novo encontro para comemorar os avanços.

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por