Quando leio...

Escrito por Thaís Bechara. Publicado em Blog.

Quando leio...

  •      Dou asas imaginação.
  •      Observo os sinais de pontuação em cada frase escrita, em cada livro lido.
  •      Espero pelo desfecho da história.
  •      Identifico lugares e me encanto geograficamente.
  •      Situo-me no tempo e me distraio.
  •      Crio expectativas e compartilho descobertas.
  •      Entrelaço fatos.
  •      Contextualizo formas simples ou  mais complexas de expressar ideias.
  •      Analiso, elogio e critico.
  •      Posso ler tudo de uma vez só ou me permito deixar para depois.
  •      Tanto leio por obrigação como por prazer.
  •      Atraio outros leitores.
  •      Busco conhecimento.
  •      Sensibilizo-me e estabeleço uma conversa com o autor.
  •      Penso, sinto e me encanto...

 

Reclamar vai resolver?

Escrito por Thais Bechara. Publicado em Blog.

 

Como está difícil viver nos tempos atuais!

Se a situação está “assim”, muita gente reclama só porque não está do outro jeito.

Pessoas reclamam que  para ter um bom carro, uma casa confortável e viajar uma vez por ano precisam trocar o estilo de vida que desejariam ter, pelas  horas incontáveis de trabalho!  Outras pessoas reclamam que tem tempo ocioso e não ganham o suficiente para desfrutar o melhor da vida.

Pais reclamam que a comunicação com os filhos está cada vez mais difícil, mesmo vivendo uma época onde nunca foi tão fácil saber de tudo o que acontece no mundo, no país, no estado, na cidade, na rua e em casa.

A geração mais nova reclama da intromissão dos pais na vida deles, enquanto pais e mães não conseguem interagir com seus filhos, porque é oferecido uma dose exagerada (ou insignificante) de atenção, carinho, preocupação e afeto.

O mundo está cheio de insegurança! Diferenças, preconceitos, achismos, restrições, falta ou excesso de liberdade...

Na escola, há reclamação se o professor passa lição de casa, mas, se naquele dia, não tem tarefa, isso também é motivo de protesto.

Na sala de Coordenação, é motivo de preocupação o 2º Ano B, porque é uma classe muito silenciosa. No entanto, o 2º Ano A,  que tem muitos alunos desassossegados, também causa muita inquietação.

No pátio, se a brincadeira é dirigida, pode crer que sempre haverá aquela pessoa que reivindicará a brincadeira livre.

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por