Erros comuns cometidos por participantes nas provas do Enem

Escrito por Conversando com Educação. Publicado em Notícias .

 

Oito erros mais comuns cometidos por participantes nas provas do Enem  (VEJA.com)

1.    Uso de gírias e expressões típicas da língua falada.

2.    Uso de termos pomposos fora do contexto.

3.    Confusão no uso das palavras “mal” e “mau”.

4.    Regência verbal e nominal.

5.    Períodos muito longos

6.    Uso indevido da conjunção “contudo”.

7.    Senso comum e generalizações

8.    Cópia de trechos da proposta de redação

Mais detalhes: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/enem-2013-os-oito-erros-mais-comuns-na-redacao

Basta clicar!

Escrito por Thaís Bechara. Publicado em Educadores.

Tablet, Google Glass, apetrechos eletrônicos e o que mais vier...

Todo dia uma novidade surge no que se refere ao universo digital!

Hoje, escolas passam a utilizar tablets para crianças bem pequenas. Sem dúvida, estamos diante de uma geração que é portadora de uma habilidade invejável em clicar e manusear qualquer apetrecho eletrônico com a maior facilidade.

Além de atender o objetivo de entreter nossas crianças, o grande apelo dessas escolas é usar os novos aplicativos com o propósito de educar.

Lousa e giz já não oferecem mais a oportunidade ao aluno de interagir com o objeto de estudo e desafiar-se, permanentemente, em busca de respostas, podendo assim avançar para a próxima fase. É nesse contexto que estão disponíveis aplicativos infantis para tablets indicados para crianças de 3 a 6 anos.

Para os mais velhos, diversos colégios investem em lições 3D, oferecendo material específico (softwares, aplicativos, óculos 3D, lousa digital entre outros), porque é preciso usar a mesma língua dos alunos.

Neide Noffs, pedagoga e diretora da Faculdade de Educação da PUC, afirma que essa tecnologia toda é importante, mas não exclui a necessidade de leitura e discussão. É aí que entra o papel do professor. “Não basta só oferecer ferramentas tecnológicas de última geração. Isso não significará melhor aprendizado. O indispensável professor precisa ocupar seu espaço, estimulando o aluno a pensar, argumentar e fazer as conexões necessárias”.

E como o avanço tecnológico é inevitável, a grande expectativa agora é o Google Glass, um aparelho que parece um par de óculos sem lentes e com computador acoplado com câmera, microfone, tela e uma barra sensível ao toque, que serve de navegador.

O que faremos com esse novo aparelho que está previsto chegar ao mercado em 2014? Que impacto futurista esse aparelho terá na área educacional?  Como nossos jovens se portarão diante do que é público ou privado? Nossa sociedade está disponível para desenvolver uma nova etiqueta social?

Temos que nos preparar, pois estaremos expostos publicamente em qualquer lugar e a qualquer hora! Isso é só questão de tempo!

 

Quer saber mais sobre Google Glasshttp://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/05/1273231-a-folha-testou-o-google-glass-veja-como-foi.shtml

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por