Na casa das palavras

Escrito por Thaís Bechara. Publicado em Educadores.

As palavras podem quebrar o silêncio, exprimir pensamentos, explorar a imaginação e marcar pessoas, lugares e momentos.

Com palavras um professor expressa emoções, prepara condições para a construção de conhecimentos, explora situações de aprendizagem, formula perguntas, faz afirmações, busca argumentos e indica caminhos.

É com palavras que o aluno pede explicação, questiona, formula respostas, registra e revela  conclusões aprendidas.

É com as palavras DEZ ou ZERO que o professor quantifica o momento privilegiado de estudo.

É com a palavra PRESENTE que o professor documenta a presença do aluno na aula.

É com a expressão BATEU O SINAL que o aluno marca o tempo para o professor.

Expressões como intervenção pedagógica, capacidade de pensar e ser capaz de fazer revelam relações significativas no processo de aprender e ensinar.

A palavra PROVA não deve ser um acerto de contas, assim como a palavra DIFICULDADE não deve ser entendida como um fracasso.

A palavra VÍNCULO deve ser  vivida, estabelecida e colocada em prática .

Existe também a PALAVRA NÃO DITA, cheia de significado  e expressão, revelada pelo silêncio que grita e se faz presente através do olhar, da escuta, do sorriso, da interrogação. Uma palavra que pede aproximação, descobertas e conexão.

A sala de aula é um lugar de encontro de professor, aluno e palavras. Realmente um ao lado do outro. Sempre é tempo de cuidar das relações, estabelecer a comunicação e resgatar a afetividade.

Coloquei um elogio no caderno do meu aluno

Escrito por Conversando com Educação. Publicado em Educadores.

 

Um bom professor respeita e valoriza seus alunos. É nessa relação de trocas afetivas e respeito mútuo que os vínculos vão se entrelaçando.

Pensando nisso, é muito comum, durante o processo de correção de tarefas, incluir elogios nos cadernos e atividades dos estudantes. A grande discussão  é o como fazer isso. O que deve ser registrado?

A professora de Psicologia Educacional da Universidade Estadual de Campinas, Telma Vinha, na Revista Nova Escola (abril 2014), sugeriu algumas ações. Leia.

"Palavras de incentivo são importantes, mas devem ser usadas com parcimônia e conhecimento, pois, dependendo de como as empregamos, causam mais danos do que benefícios. Há dois tipos de elogio.

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por