Publicar, reparar e citar

Escrito por Conversando com Educação. Publicado em Educadores.

Conversando com Educação publicou em 18 de setembro de 2014 o artigo Somos responsáveis pelo processo de aprendizagem e seus problemas e deixou de citar a autoria da psicopedagoga Elisa Maria Pitombo. Sendo assim, decidiu publicar, na íntegra, o texto Problemas de aprendizado escolar - responsabilidade de quem? 

O problema de aprendizado escolar é uma das questões que o educador e os pais deparam-se constantemente nos dias atuais: O que é um problema de aprendizado escolar, um distúrbio, uma patologia ? Para que se possa responder essas indagações, penso primeiramente descortinar alguns termos com a intenção de ampliar a leitura desse momento do processo educacional, o problema de aprendizado escolar.

O termo aprendizado, etimologicamente, segundo Cunha (1987), significa o ato do aprendiz aprender, do latim apprenhendere, que significa apanhar algo. Portanto, a própria palavra aprendizado, em suas origens, sugere que o indivíduo dirige-se ativamente ao aprender. Segundo a definição etimológica, o termo problema surgiu no século XVII e refere-se a uma questão matemática, portanto, de ordem lógica, proposta a fim de que seja dada uma solução (Cunha, 1987).Já a palavra distúrbio, etimologicamente (Cunha,1987), significa alteração da ordem das coisas, interrupção e, quando se refere ao aprendizado, está em geral relacionado a comprometimentos neurológicos que afetam o ato de aprender. Esses relacionam-se à disfunção do sistema nervoso central, sem que haja uma vinculação direta com as condições deficientes ou ambientais (Campos,1997).
Mas creio ser importante frisar que a expressão distúrbio de aprendizagem (Megda,1984) foi usado, pela primeira vez, por Kirk (1962, p. 263, apud Kirk e Winifred, 1983) que assim o define: 
" Um distúrbio de aprendizagem se refere a um retardo, desordem ou atraso no desenvolvimento em um ou mais dos processos de fala, linguagem, leitura, soletração, escrita ou aritmética, resultante de possível disfunção cerebral ou distúrbio emocional ou comportamental e não de retardo mental, privação sensorial, fatores culturais ou de instrução" (p.36).

Avaliar 2014! Projetos para 2015!

Escrito por Sônia Licursi. Publicado em Educadores.

Ano a ano os atores escolares verificam, através das avaliações dos alunos e professores, quais os conteúdos ensinados e aprendidos, e os resultados dos projetos realizados com as crianças e jovens.

Este ano, nós do Conversando com Educação estamos propondo que os atores escolares olhem para o ano de 2014 e pensem sobre os acontecimentos sociais, educacionais e econômicos do nosso país, levando em consideração a dimensão subjetiva dos acontecimentos e da realidade.

Como? Observem como estão os sentimentos, as ações, as convicções, os sonhos, os desejos e as vontades. Levantem quais os projetos coletivos e individuais foram produzidos na vida familiar, na vida escolar e as influências do nosso momento histórico. Ano de Copa do Mundo, de Eleições para Presidente da República, Senadore Governador.

Calendários escolares adaptados às diversas situações, famílias com suas particularidades atuando no cenário escolar. Muitos acontecimentos e produções sérias de alunos e professores. Histórias de violência, tristezas que se cruzaram com alegrias e esperança. Festa na Copa do Mundo! Frustrações com a seleção brasileira. O exemplo de preparação, empenho e solidariedade que a seleção alemã nos deixou.

No contexto eleitoral, debates violentos por disputa apenas de poder. As conquistas, as aprendizagens e a consideração ao povo brasileiro foram colocadas na caderneta de poupança com rendimentos baixíssimos. Não há projetos, há disputas de lideranças e coligações partidárias para não perderem o poder, mas não por convicções, sonhos, ideais ou reais mudanças.

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por