É tão difícil assim?

Escrito por Thaís Bechara. Publicado em Educadores.

É fato que aprender não é um acúmulo de conhecimento no qual o aluno recebe e é preenchido com o conhecimento do professor. Aprender é um processo no qual ocorre uma interação do sujeito que aprende, com o sujeito que ensina, com o objeto de conhecimento e o próprio meio do qual este sujeito se insere.

Uma boa escola tem que ter como meta o favorecimento de oportunidades desafiadoras, onde o  aluno tenha condições de construir o conhecimento.

Diante de nossa realidade educacional, não é segredo que “dar aula” tornou-se um ato de bravura! É comum vermos professores insatisfeitos com o salário, com o grande número de alunos por sala, com a extensa carga horária de trabalho, com o desinteresse dos alunos, com a falta de apoio familiar, com a indisciplina e com o inadequado poder entre os dirigentes. Quanto desafio!

Publicar, reparar e citar

Escrito por Conversando com Educação. Publicado em Educadores.

Conversando com Educação publicou em 18 de setembro de 2014 o artigo Somos responsáveis pelo processo de aprendizagem e seus problemas e deixou de citar a autoria da psicopedagoga Elisa Maria Pitombo. Sendo assim, decidiu publicar, na íntegra, o texto Problemas de aprendizado escolar - responsabilidade de quem? 

O problema de aprendizado escolar é uma das questões que o educador e os pais deparam-se constantemente nos dias atuais: O que é um problema de aprendizado escolar, um distúrbio, uma patologia ? Para que se possa responder essas indagações, penso primeiramente descortinar alguns termos com a intenção de ampliar a leitura desse momento do processo educacional, o problema de aprendizado escolar.

O termo aprendizado, etimologicamente, segundo Cunha (1987), significa o ato do aprendiz aprender, do latim apprenhendere, que significa apanhar algo. Portanto, a própria palavra aprendizado, em suas origens, sugere que o indivíduo dirige-se ativamente ao aprender. Segundo a definição etimológica, o termo problema surgiu no século XVII e refere-se a uma questão matemática, portanto, de ordem lógica, proposta a fim de que seja dada uma solução (Cunha, 1987).Já a palavra distúrbio, etimologicamente (Cunha,1987), significa alteração da ordem das coisas, interrupção e, quando se refere ao aprendizado, está em geral relacionado a comprometimentos neurológicos que afetam o ato de aprender. Esses relacionam-se à disfunção do sistema nervoso central, sem que haja uma vinculação direta com as condições deficientes ou ambientais (Campos,1997).
Mas creio ser importante frisar que a expressão distúrbio de aprendizagem (Megda,1984) foi usado, pela primeira vez, por Kirk (1962, p. 263, apud Kirk e Winifred, 1983) que assim o define: 
" Um distúrbio de aprendizagem se refere a um retardo, desordem ou atraso no desenvolvimento em um ou mais dos processos de fala, linguagem, leitura, soletração, escrita ou aritmética, resultante de possível disfunção cerebral ou distúrbio emocional ou comportamental e não de retardo mental, privação sensorial, fatores culturais ou de instrução" (p.36).
Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por