A chegada de um irmão

Escrito por Sônia Licursi. Publicado em Pais e Filhos.

Quando nasce o bebê, o irmão se sente feliz, triste e ameaçado ao mesmo tempo. No momento em que pais, avós e tios  apresentam o novo ser, todos os olhares se voltam para ver a reação do irmão. Há sempre uma pessoa que brinca, falando sério, que  o colo foi perdido e que, agora, já está mocinho.

Atualmente, ganha presente o bebê e, por tabela, o irmão.

Com a chegada do bebê, nasce uma difícil tarefa de entender o contexto familiar. “Não faço aniversário! Hoje não é dia da criança!  O  Natal não chegou! Tem um intruso na minha casa e eu ainda ganho presentes!“.

A criança presenteada passa a ocupar o novo lugar de irmão mais velho  e, a partir dessa nova fase de vida, será convocado para ajudar mamãe e papai a cuidar do irmãozinho.

A atenção e os olhares são voltados, naturalmente, tanto para o ser que ainda é indefeso e precisa de muitos cuidados como também para o mais velho. A criança que recebe esse irmão e os pais assumem uma tarefa com muitos afazeres e sentimentos.  É uma experiência rica para além da vida familiar, um movimento para crescer e amadurecer.

Aprender com os novos tempos!

Escrito por Sônia Licursi. Publicado em Pais e Filhos.

Hoje as crianças e adolescentes são estimulados a curtir a vida social com os pais, amigos e familiares.

Muitas vezes, observamos a garotada com comportamentos de adultos ou já buscando a próxima fase, a adolescência.

Crianças observam os adultos, outras crianças e experimentam as várias maneiras de se relacionar e se posicionar diante da vida.

Escutamos pais relatarem que as crianças não aceitam o não sem explicações e mesmo assim insistem com argumentos no que desejam.

Educar é uma tarefa difícil. Respeitar os desejos das crianças, estimular a inteligência e ser firme com o não, tem sido motivo de conversa constante entre  pais.

Podemos perceber que o universo das crianças ficou mais ampliado, o que também reflete na forma argumentativa. Nessa rica conversa, os valores familiares são transmitidos, a coerência das atitudes dos adultos é checada e a  proteção da infância é  garantida.

Os pais relatam que a adolescência está chegando cada vez mais cedo, mas criança tem que ser tratada como criança.

Nas rodas de conversas, os pais de adolescentes também trazem o quanto está difícil o relacionamento entre eles, pois o jovem de hoje não quer dar satisfações e cultuam a importância de viver nas  baladas com os amigos.

Conversando com Educação - 2013. Desenvolvido por